Pular para o conteúdo

Posts da categoria ‘viagem com criança pequena’

diário de bordo – chile, La Chascona

.

.

.

Nas escadarias que conduzem à La Chascona

inicia o convite para imaginar tempos

de poesia incrustada

nos poros do vento e da casa,

que permite o ligeiro olhar curioso dos visitantes

sem ousar desnudar todos seus segredos

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Em respeito à poesia

brindou-se a mãe com a visita,

mas para quem ainda acredita

que criança que corre, pula e agita

em uma visita guiada, de 40 minutos, quieta fica…

Pode tentar (tal qual fizemos)

e se não funcionar (tal qual ocorreu)

ainda resta o aprazível consolo

de passear pelos arredores…

.

.

Anúncios

diário de bordo – chile e suas pequenas surpresas

.

Uma somatória de pequenos encantos

divertiu de maneira inusitada a manhã de Santiago…

Fez-se uma profusão de uniformes e vapores,

técnicos compenetrados e curiosos passantes,

crianças satisfeitas e discretos cachorrinhos despreocupados.

.

.

Ao redor do antigo carro de bombeiros

aglomeravam-se as expectativas,

e assim crescia a pequena torcida,

desorganizada, mas feliz.

.

.

Para nossa amada criança pequena,

o deleite não poderia ser maior.

Um reluzente carro com manivelas e barulhos,

mangueira d´água e parafusos,

com mirabolantes peças refletindo tal qual redondo espelho

o verde entorno do Cerro de Santa Lucia

.

.

Quando finalmente elevou-se aos ares

o imponente jato d´água,

brindou com um desvio de rota

(fruto do insuspeito senso de humor do bombeiro

responsável por sustentar a mangueira)

aos que ali estavam e

cujas pernas novo rumo a tempo não alcançaram.

 

.

.

Muito tempo se passou até que o intento deu resultado,

porém não tanto quanto rendeu depois

essa singela brincadeira. 

Reproduzindo o que a memória guardava imaginada,

refazia o carro

e fazia de bombeiro a si próprio,

nosso filho no alto de um escorregador.

.

ding ling dling e outras bicicletas chilenas

.

dling dling dling

faz o sutil anúncio

de que se vende botijão de gás

dling dling dling

vai sem grande alarde,

percorrendo em sua bicicleta

quinas e quadras,

com suas pancadinhas no metal.

Vai ganhando nossa atenção

e o carinho dos ouvidos

que agradecem sua quase bucólica discrição musical

.

.

Crianças e bicicletas são, sem dúvida, uma bela combinação.

Uma forma agradável de conhecer uma cidade é passear despreocupadamente de bicicleta. Para aproveitar um domingo de sol morno em Santiago, optamos por alugar uma magrela (Bike Tour & Rentals, www.labicicletaverde.com) com cadeirinha atrás. A empresa fornecia todo o equipamento necessário, e o pequeno adorou o embalo.

.

.

.

 E assim fomos ao longo de bairros tranquilos e também acompanhando o curso do rio, seguindo pelo Parque Forestal.

.

Embalo vai, embalo vem…

 

.

Claro, viagem com criança pequena reserva todo tipo de surpresas e possibilidades.

Pedalar e segurar a cabecinha que pendia em sonhos era tarefa para poucos metros.  A alternativa  um tanto quanto engraçada para o impasse, já que a reserva para o almoço já havia sido feita, foi deixar a mãe cuidando das duas bicicletas enquanto pai e filhote voltavam ao hotel de táxi. E assim o pequetito ficou por alguns minutos sob os cuidados de um staff atencioso e confiável enquanto  papai voltava para resgatar uma das magrelas em prol de garantir uma saborosa refeição…

Como diria nosso filhote:

– “Acontece, mamãe”…

.

.

Entre as demandas cada vez mais específicas de uma criança de quase três anos, a magrela também tem pedidos detalhados:

– Mamãe, eu quero andá de biquiqueta numa rua mais maior!

 Muuuuito grande. Uma rua comprida, sem carro. Que tem portão que abre e fecha sozinho…

diário de bordo – Chile, Cerro San Cristóbal

.

.

Zumbe a abelha seu zum zum canto

no recanto florido que se percebe

preto amarelo na flor o encanto

da zeladora do Cerro que nos recebe

.

.

.

.

Para a subida ser mais atraente

um funicular bondinho leva a gente

para um pouco além dos primeiros passos.

Assim não carrega-se sempre

uma pequena grande criança nos braços…

.

.

.

.

.

jorra da fonte com muita calma

o som d´água que nos acalma

.

.

.

.

.

E eis que como quase surpresa,

do alto vê-se ampla beleza

por vezes com névoa encoberta

mas que ao descobrirmos nossa alma desperta

.

diário de viagem – Chile

Preciosos mimos chilenos descobertos em nossas caminhadas pela capital…

.

.

lavandas em flor

.

um bom alfajor artesanal na simpática barraquinha de doces do centro artesanal Los Dominicos

.

.

brincar no parquinho do Parque Forestal até o final da tarde…

.

.

soltar bolhas de sabão do alto do Cerro Santa Lucia

.

suco de framboesa fresca

.

sabonete artesanal natural  (“Reina Abilene”, rua das Merces)

.

.

El Huerto, delicioso restaurante vegetariano com culinária mundial

.

.

torta de maçã vegan no “La Chakra” (espécie de empório orgânico com opções gostosas de lanche)

brinquedos de madeira no Pátio Bellavista

.

.

.

.

.

um tradicional mote com huesillos   (bebida típica com trigo em grãos e pedaços de pêssego em calda)

.

mel orgânico de ulmo… faz reviver a experiência de passear pelos parques no sul do Chile por entre as encantadoras flores brancas que coroam a região – o mel é o próprio aroma destas flores

.

 

através de passos caminhados

 por entre calles e avenidas

a cidade se desdobra em sutilezas

revelando  pequeninos segredos de carinho…

.

diário de bordo – chile, valle nevado

.

Deslumbram os olhos e acalmam os sentidos

as grandes montanhas de brancas pontas

com sua fofa neve a amaciar meus passos

.

.

– Oh mamãe, quem fez a montanha de neve?

– O Papai do Céu.

– Por que?

– …

– Ele pegou gelo da geladeira e pos?

– …

 

diário de bordo – Santiago do Chile, pueblito los dominicos

.

un pueblito tan hermoso…

.

.

programa agradável para se fazer com crianças…

.

.

“- Gato, gato, gatoooo. Vem aqui gatoooo. Olha mamãe, o gato é meu amigo!”

(por sorte o bichano concordava com isso…)

.

Diário de bordo – viagem ao Chile com o pequetito

Após uma inspiradora noite de calma chuva,  a cidade de Santiago do Chile acorda suas belezas. Ainda sente-se o torpor da madrugada. Lá fora, quase todos dormem… Da varanda do apart hotel avista-se o prenúncio de um adorável dia…

 Para nosso pequeno, agora com 2 anos e 10 meses, a visão triunfante das montanhas recobertas de neve é inusitada e inspiradora:

– Quem fez as montanhas com neve, mamãe? Foi o papai Noel, né?

 .

.