Pular para o conteúdo

Posts da categoria ‘senta que lá vem história’

Um encontro diverso, desvendar de novo universo 

Bênçãos e poesia compartilhada, 

entre empenho e sorrisos.

Árduo caminho,

passo a passo, passarinho.

Mais me conheço, 

bem me faço.

Novas histórias 

de novo laço. 

Aos novos amigos um brinde! 

Corajosos sois,

Brilhantes em seu sol interno.

Pelos inúmeros momentos de inspiração, agradeço. 


Seguimos. 


O céu que nos protege 

Estrelas em cima e embaixo, 

Dentro e fora. 

Constelação em nós.

Para o papai, com todo o amor


Noites de colo 
Abraço embalado

Cantiga de ninar.

Manhãs de sorriso duplo

Cosquinhas na barriga

Alma desperta no encanto do olhar.

Contemplação serena, 

Dias em plenitude,

Virtude do amor que sabe entregar.

Exemplo, porto seguro, herói, 

cavalinho, goleiro, cowboy. 

Contador de histórias, 

fabriqueta de cafuné,

tecelão de boas memórias.  

Meu elevador preferido,

Minha inspiração risonha.

Papai, sem quê nem mais. 

Todo amor do mundo 

Reaproveitando a vela do filtro de barro

Sabedoria corriqueira de nossa terra com sabor de riacho aonde canta a brisa embalada no som de sorriso de criança nadando satisfeita.

O consagrado filtro de barro, comprovadamente eficiente, deixa a água bem fresquinha.  

No interior do filtro,  além da água, a vela. Ora, pois. Algumas ainda possuem a vantagem extra de ter em seu interior carvão ativado. Mas, e depois?

Um vasilha simples para uma planta suculenta ou um suporte para flores imerso na água de um arranjo. Simples, prático e simpático.  

E temos férias… 

Astronauta

“Rememorâncias” poéticas 

No momento de preparo para a chegada do irmão, relembrava algumas preciosas perguntas de meu filho quando ele estava com 3 anos ao saber que dentro de uma barriga de gestante havia um pequeno bebê:

– tem uma cadeirinha lá dentro?

….

– eles (os bebês) comem o pão?

– eles comem com colher?

– não, tudo com os bebês é de um jeito especial.

– aí eles contam como é, né?

Muito amor… 

Lanchinho de férias