Pular para o conteúdo

Posts da categoria ‘poetica’

desenhos, lagoas e jacarés

DSC05774

.

Carvão em punho

desenho no chão

liberdade de criar

crocodilo em pedra,

 bocarra repleta de dentes

de preto traço e larga ousadia

.

DSC05764

.

Em expansivo e indubitável gesto

o azul do giz recobre o réptil com a rapidez das águas,

intensidade e vontade certa.

“-Por que, menino… estava tão bonito…”,

lamenta um adulto pensamento

que olha para o desenho com olhar do que se foi

“- O crocodilo está dentro da lagoa…”,

ensina o querido menino, 

vivenciando inteiro a poesia do agora

.
DSC05762 DSC05761

Anúncios

minhas meninices – vide verso

na sequência dos sentidos

os registros visuais fazem seu percurso

e a vista que vislumbra o colorido grafite nos muros

busca nos recantos da memória a lembrança de Sampa

e os passeios pelo parque Ibirapuera

o início de tudo

os primeiros amigos

a construção do sobrado com seus tesouros de areia e brita

mangueiras cheias d´água em dias ensolarados

as chuvas  inesperadas

que em seus rompantes molhavam camisetas, sorrisos e bicicletas

(permanecendo todos orgulhosamente invictos)

as portentosas esculturas a céu aberto

as feiras de troca de brinquedos

a incrível gincana na escola

o irmão mais novo que nasceu e encheu o mundo de bençãos e o colo de carinho

o laguinho com girinos

as bucólicas vilas italianas

os primeiros livros de origami

o tamanho das árvores no parque Thrianon

a primeira visita a Bienal de artes

pessoas de todos os tipos e mesclas

uma avó cozinheira de mão cheia e um avô repleto de risadas acaloradas

as elegantes mãos de minha mãe fazendo batik

um pai muito engraçado

crianças passeando pelo quarteirão tocando tambor no dia da bandeira

o jardineiro mágico do jardim secreto da praça, povoado de fantasias e passarinhos

os finais de semana na praia

um cão feliz chamado Pablito

minhas meninices

.

O olfato, com sua ágil memória,

de imediato me arrebata com seu cheiro de campo florido

para o exalar da infância

e dos jardins de cantigas

das peras verdes

do acordar de madrugada com um teatro de sombras projetado na parede

das risadas dos primos

dos gatos, filhotes ou não, que não queriam se deixar acarinhar

do cheiro de feno

da conversa ao pé de ouvido com os bezerros do celeiro

de pular de 3 metros de altura sobre um monte de espigas de milho

de banho de açude

de cheiro de chuva no mato

de orvalho

do galinheiro com a surpresa dos ovos e dos pintinhos

de comer coquinho bem doce

da polenta da oma pelas manhãs

do amor

da parreira carregada

de trotar a cavalo

de bater manteiga

de tomar leite tirado na hora

de andar de trator

do calor do fogão a lenha

do sorriso da avó

de casa cheia

de entardecer com sopa e conversas

de férias na fazenda

.

cumplicidade

.

Fez-se o tempo…

Convite feito

convite aceito.

Depois do sim,

a lembrança de uma imensidão

construida em conjunto,

de mãos dadas com o bem querer…

.

.

Passaram-se anos e olhares,

sonhos e projetos,

expectativas e surpresas

além da imaginação.

Houveram caminhadas suaves,

e algumas colinas ingremes

que pediam para segurarmos mais forte as mãos.

A cada passo,

mais nos apaixonamos

pelo nosso caminhar.

Mais nos envolvemos

na trilha que destinou-se a alma a seguir,

e, com um certo sopro de sorte,

ousou compartilhar…

.

.

.

* para minha flor vagalume, relembro aqui nosso convite de “eu aceito”, que continua a valer para todos os meus dias…

Smile it out – temperando o dia com um sorriso

.

O sorriso largo indicava a sabedoria de muitas experiências de vida vivida em sua plenitude,

com aceitação e entrega às demandas e desafios que aparecem para fortalecer a alma

aliadas à leveza de quem sabe saborear cada respiração

com o reconhecimento repleto de gratidão

pelo mistério que é existir.

.

.

Com esse espírito de empenho e risadas, transcorria a aula de yoga com vigor e dinamismo,

fazendo cada um dos presentes suar, sorrir e saborear ao máximo o aprendizado.

Ao final, um lembrete sobre a importância de sorrir mais,

ser mais leve, rir diante das dificuldades

compreendendo que os obstáculos da vida podem parecer mais importantes,

maiores e pesados do que realmente são…

E foi assim que, ao dirigir de volta para casa,

veio à mente uma frase que me divertiu e norteou uma nova abordagem diante das situações

cotidianas que se apresentam com desmedida sisudez:

“Smile it out”.

Sorrir a situação e a tensão para fora de si mesmo

como uma expiração de alivio e reconhecimento

pela capacidade inata de ser original e se reinventar a cada instante.

Então, ao sentir o corpo tensionar

e a respiração ficar curta, pequena diante de alguma situação apertada,

o sorriso maroto aparece,

sorrindo para dentro de mim

a lembrança de que relaxar e ser leve é uma escolha, é sempre uma escolha…

Smile it out,

smile it out,

smile it out…

.

.

* à Krishna Kaur, um agradecimento carinhoso por sua presença sempre tão inspiradora e graciosa

alvorecer

.

Não foi sem surpresa

que o sonoro alvoroço

arrebatou nossas asas de saudade

do som de mata e floresta

de pisada fresca e estalada

de folhagem sombreada

de vivacidade cantante.

E assim cantou nosso coração em conjunto

com aqueles inusitados visitantes

que nos diziam que esperançavam novidades

que voavam como pássaros de antes

mesmo entre fios, postes e outras cantorias

de metropole grande.

Por que, na espera do nosso desejar,

mora impciente

o nosso desejo de ouvir o cantar

de tantos quanto forem os passarinhos

.

integralmente

.

Por tudo,

por sempre,

pela força,

pela coragem,

pela inspiração,

pela alegria,

por sua incrível dedicação em me fazer sorrir,

por acreditar em mim plenamente,

por seu amor incondicional

por nossas brincadeiras tão singelas,

por nossas muitas risadas,

pelo exemplo,

pela entrega,

por tudo isso e por simplesmente ser assim…

Te amo, papai

.

.

Feliz dia dos pais, com muito amor.

sutil

.

no bater das asas da aurora

por certa coincidência dos fatos

estampou-se na mão, pousada,

a inspiração das vestes

que cobriam suas historias de meninice…

.

parafusos

De quantas indagações são feitas as casas do nosso sonhar?

Mãe Terra

Inteira existência envolve em seu carinhoso abraço de mãe

recebendo cada criatura, som, flor e relva

como seus muito amados filhos

 a viverem da generosidade pulsante de sua epiderme

.

.

* boneca de feltro confeccionada  a partir do modelo criado pela talentosa Mimi kirchner, disponível no link:

http://www.purlbee.com/hand-sewn-felt-dolls/2009/4/8/mimi-kirchners-hand-sewn-felt-doll.html

.

 O principio da bonequinha:

caminhada internacional pela paz – Española, New Mexico

.

Na circular caminhada

que une os corações do mundo

a poeira ancenstral

recobre os vincos do pé descalço

gravando na alma

a lembrança da humanidade

.