Pular para o conteúdo

Posts da categoria ‘frases de infância’

a poética das perguntas improváveis


Como não poderia deixar de ser, o filhote mais velho, agora com 6 anos e meio, continua surpreendendo com suas perguntas inusitadas e respostas improváveis. Dia desses travamos o seguinte diálogo:

– Mamãe, hospital funciona a noite?

– Sim.

– Funciona o tempo inteiro? Nunca fecha?

– Nunca fecha.

– Então por que é que tem porta?

– …

IMG_20141222_101915

Anúncios

Simples assim…

image

 

Dotado de todo arsenal de curiosidade infantil, o menino comenta com a mãe:

 

– Um dia eu vou subir numa árvore alta e pegar o sol. O sol é macio?

– é muito longe, não dá pra pegar o sol, querido.

– eu subo em uma castanheira!

 

Muito amor…

Separadas as sementes de girassol anão, mãe e filho se preparam para a empreitada do plantio:

– Vamos plantar o girassol pra comer o broto?

– Aquele que a gente vai plantar é de decoração. Melhor deixar crescer, depois pegar as sementes para plantarmos e comermos os brotos.

– Boa idéia. E o de mais coração a gente vai plantar hoje?

atelier_07

Mundo nosso

DSC06056

.

Comenta o menino:

– Mamãe, o mundo está girando!

– É.

– Então você está no meu lugar e eu no seu, por que a gente girou com o mundo…

 

 

principes e coroas

DSC06915

.

Final de ano, época propícia para reorganizar gavetas, rever prioridades, separar roupas para doar e… revisitar frases preciosas proferidas pelo filho quando era mais novo, por que ternura e humor é um alimento sempre vem vindo em qualquer época.

Eis que em uma dessas “expedições” ao fundo da gaveta, deparei-me com preciosidades e boas lembranças:

– Eu “tô” de coroa, eu sou o que?

– Um príncipe.

– E a princesa tá onde? Na barriga do rei?

as cores de sua poesia

fol 235

.

Acordou inspirado o menino, banhado em poesia de variados matizes.

Logo ao café da manhã, pediu uma coisa cor de lua. Branca. Ou cor de noite. Escura.

Seguiu-se o dia e chegou a vez de descrever um objeto transparente. Saiu-se com essa:

– era uma coisa cor de ar…

.

E assim a criança respira a vida com um colorido especial…

.

ninho de onça

onça

 

Era um sábado de manhã em um haras circundado por belas árvores e inspiradoras trilhas. Perfeito para procurarmos um ninho de onça…

– Onça?, pergunta a mãe.

– É, mamãe. Ela é um pouco brava e muito mansa.

E assim fomos caminhando e procurando, rindo e imaginando…

– Mamãe, qual música que eu mastiguei?

solar

– Mamãe, hoje é de vez em quando?

DSC06319 DSC06315 DSC06309

Casa aberta

misturadas 088

.

“Mamãe, nunca a gente pode chamar um duende para vir aqui em casa?”, pergunta o menino de quase 5 anos, após confirmar depois que  de fato também nunca viu um duende para convidá-lo para um chá da tarde…

.

conversa no café da manhã…

nenem.

Aos 4 anos e meio, durante o desjejum, questiona o menino:

– Mamãe, de onde os bebês saem da barriga?

– De um lugar especial para eles sairem.

– De onde, mamãe? Me fala. Eu já esqueci…

.

.

.

* revisitando arquivos antigos: modelagem criada para o vídeo metamorphosis, de 1999