Pular para o conteúdo

Posts da categoria ‘fotografia’

alvorecer

.

Não foi sem surpresa

que o sonoro alvoroço

arrebatou nossas asas de saudade

do som de mata e floresta

de pisada fresca e estalada

de folhagem sombreada

de vivacidade cantante.

E assim cantou nosso coração em conjunto

com aqueles inusitados visitantes

que nos diziam que esperançavam novidades

que voavam como pássaros de antes

mesmo entre fios, postes e outras cantorias

de metropole grande.

Por que, na espera do nosso desejar,

mora impciente

o nosso desejo de ouvir o cantar

de tantos quanto forem os passarinhos

.

integralmente

.

Por tudo,

por sempre,

pela força,

pela coragem,

pela inspiração,

pela alegria,

por sua incrível dedicação em me fazer sorrir,

por acreditar em mim plenamente,

por seu amor incondicional

por nossas brincadeiras tão singelas,

por nossas muitas risadas,

pelo exemplo,

pela entrega,

por tudo isso e por simplesmente ser assim…

Te amo, papai

.

.

Feliz dia dos pais, com muito amor.

– “Mamãe, eu dormi muito, muito, muito, muito… até acordar!”

versos inversos

flores de páscoa

.

Em meio a expectativas, a visita do “coelhinho da Máscoa” foi percebida com muito entusiasmo

por causa das delicadas (ou quase) patinhas de farinha que ele displicentemente deixou

dentro de casa. E, mais uma vez, os adultos se surpreenderam com a reação do menino,

que ao invés de procurar pelos ovos de chocolate ou por algum outro vestígio,

tratou logo de juntar a farinha com as mãos e buscar pá e vassoura para varrer as marcas das patinhas do coelho…

a Rosa rosa

.

hoje ganhei um carinho corrido,

serelepe feito de menino a galopar com seu tesouro abraçado entre os dedinhos da mão,

tesouro rosa cor de rosa

colhido por entre galhinhos de flor

que enroscavam a vontade de surrupiar um pensamento de passarinho beija-flor

só para aprender a soltar um beijinho ao vento

florescer agradecer

.

Junto com as romãs e morangos do jardim floresce em mim

uma vontade indizível de reconhecer todas as bençãos que me cercam.

De acordar de manhã pressentindo o inusitado de cada dia,

a originalidade de cada respiração.

De agradecer profundamente

cada cantar de passarinho no alto de minha janela,

cada desabrochar de flor de infância,

cada sorriso, amigo ou desconhecido,

todas as risadas de criança,

todos,

tudo.