Pular para o conteúdo

Posts da categoria ‘comidinhas’

sabor de vida nova

seva7

Em um festival de aromas delicados,

assim coloridos fomos agraciados

por quarenta dias de muitos cuidados,

mimo doce de amizade e zelo.

seva6

A cada dia desvendava-se nova surpresa,

bem servida e alegre posta estava a mesa.

 

seva5

Cercados de carinho e sentindo o amplo apoio,

Mamãe e papai ficaram bem

dispondo do precioso tempo

pra cuidar do novo neném.

seva4

 

 

Os amigos se revezavam

e cada dia um fazia chegar à casa

novo aroma e delicioso prato.

Alimento para corpo, mente e alma.

seva3

 

 

 

 

 

seva2 seva1

.

A casa ainda sussurrava de mansinho,

cuidando para não acordar o neném ali nascido.

De colo em colo amaciava-se o ninho,

e o dia devagarinho desabrochava em flor.

O tempo lento, de descoberta, acarinhava amor.

Ao meio do dia, com um leve toque de campainha,

a família recebia de presente um novo sabor.

Sabor de amizade,

sabor de servir,

sabor de bem querer,

sabor de respeito, de cuidado e zelo.

Sabor de quem sabe o valor que cada novo ser tem.

Sabor de servir com amor

a todos que cuidam do pequeno neném.

Sabor de abençoar o caminho,

iluminar os corações,

oferecer apoio, sorrir.

Quarenta dias, quarenta refeições chegaram a nossa porta.

Quarenta refeições abençoaram nossos sentidos.

A quem se pergunta se existe de fato

tamanho cuidado e amparo,

se “nos dias de hoje” em grandes cidades

há como florescer tamanha ternura…

Sim, certamente há. E devo dizer… precioso aroma tem.

 

 

* Nossa gratidão e bençãos a cada um que tornou o início dessa nova história ainda mais especial. Amamos vocês!

 

 

Anúncios

duendezinho cozinheiro

avental

.

De avental e gorrinho, ei-lo preparado para ajudar com os confeitos.

Muito empenhado, o duendezinho cozinheiro experimenta seus dons

de mestre cuca e amassa a massa do bolo, dos biscoitos, peneira a farinha,

coloca frutas e açucar, mistura os ingredientes. Mas, mais do que tudo,

o duendezinho é experiente mesmo na hora de raspar a panela…

.

DSCN2112 DSCN2113 DSCN2114

e assim sirvo-me de chá e tempo, memórias e aroma de alecrim…

DSC05220DSC05233


 

DSC05231

DSC05235

.

*a charmosa xícara de passarinho, presente mimoso encomendado por uma amiga querida e que abriga muito frequentemente um chá servido bem quente…

colheita especial

.

tem gosto diferente

a colheita de nossos cuidados

regada com a atenção da nossa espera

e adubada com o carinho

da expectativa de uma criança

desejosa por sentir a experiência

de conectar-se com o que come,

com o que sente, com a terra que a acolhe.

.

.

a grande metrópole,

comovida por esse sentimento,

abre em si, generosa,

o espaço para que um pé de morango silvestre

floresça em um singelo jardim,

oferecendo ao menino,

que as mãos traz diante de si

estendidas na frente de seu sorriso,

o sentimento de respeito por aquilo

que ele conhece existir.

.

presente de dia dos pais

.

Era certamente único e inesquecivel

o sabor dos biscoitos que o filho fez para presentear o papai.

Desde a mistura dos ingredientes até a abertura da massa com o rolo

e o corte dos biscoitos em formatos de bichinhos (escolhidos um a um),

passando, claro, pela etapa de raspar a vasilha com o restinho de massa crua e doce,

com tudo e com grande empenho envolveu-se o menino, na plena alegria do realizar.

.

.

A “caixa estrela” de origami (tradicional e uma de minhas favoritas)

serviu para acomodar os biscoitinhos e o desenho do menino…

.

.

Para um detalhe especial,

copinho de origami feito com guardanapo decorado,

para revestir os biscoitinhos que acompanham o chocolate quente…

(por enquanto essa parte das dobraduras ainda é feita pela mamãe).

.

.

E o “kit” de giz de cera

para estimular a criatividade

e relembrar  que a vida é pintada

de todos os matizes…

passion fruit basket – cestinha de maracujá

.

No meio do café da manhã

um perfumado maracujá sussurrou no nosso ouvido

que gostaria de fazer um cafuné no jardim.

– Muito bem, seu pedido é uma ordem.

.

.

O guizo, que sempre está pronto para brincar, disse que não podia ficar de fora.

– Pode deixar, já tenho um lugar reservado pra você.

.

.

A colher, querendo a todo custo ajudar de alguma forma, retirou com cuidado a película interna do maracujá.

.

.

Foi então a vez da senhora agulha, que passou com muito jeito a ráfia trançada pela casca da fruta.

.

.

Nó na ponta, tem-se a cestinha pronta.

.

.

Ah… água para refrescar passarinhos.

.

.

Escolher o galho ideal para enfeitar o jardim…

.

.

Aveia e um punhado de migalhas para nossos amigos voadores

.

.

E um singelo arranjo de ervas e temperinhos para perfumar o dia.

Bem vindos salsinha, alecrim, manjericão, hortelã, lavanda… bem vindos sejam para nossa festa!

.

a salada nossa de cada dia

biscoitinhos divertidos

.

O convite foi simples: – “Vamos fazer biscoitos em formato de bichinhos?”

A resposta também: – “Vaaamoooos!”

Na falta de receita, uma mistura de farinhas, ghee, temperinhos… O principal era fazer a massa possível de ser cortada nos formatos escolhidos. E foi um sucesso que vai pedir bis. O ajudante, muito compenetrado, abriu a massa com o rolo, cortou com as forminhas, misturou com a mão e, claro, se deliciou com o resultado. Ótima pedida para os dias de chuva em que as crianças precisam ficar dentro de casa…

.

como fazer ghee (manteiga clarificada)

Certa feita fui apresentada a um pequeno potinho de conteúdo amarelo, bastante semelhante a manteiga, porém com um nome um pouco diferente.    Levei o potinho pra casa e experimentei colocar um pouco para saltear legumes, já que se dizia que o ghee era melhor que a manteiga para cozimentos e até para frituras. Claro, o fato do ghee ser um ingrediente tão presente e apreciado na culinária indiana e também na medicina ayurvédica temperou minha curiosidade. E gostei mesmo do tal do ghee.

Depois fui descobrir que o que ocorre no ghee é que os resíduos sólidos do leite e a água contidos na manteiga são eliminados (a água evapora, os resíduos são retirados manualmente), resultando em uma gordura pura, mais resistente à ação do tempo – uma das qualidades do ghee era justamente ser preservado por mais tempo. Diferente da manteiga, ele pode ser guardado (preferencialmente em pode de vidro, e sempre tampado) fora da geladeira. Diz-se que se a manteiga for de ótima qualidade ele dura por meses ou anos.

O primeiro passo para preparar o ghee é comprar manteiga sem sal, de boa qualidade.  Como o processo demanda um pouco de paciência, é preferível fazer uma quantidade maior a cada vez. Utilizei 5 tabletes de manteiga por causa do tamanho da minha panela. Vale lembrar que como a água e os resíduos lácteos são retirados o volume final diminui (algo em torno de 25%).

.

A manteiga pode ser cortada em cubinhos, para facilitar o derretimento. Levei a banho maria para o processo ficar mais homogêneo e evitar queimar o fundo. Há quem prefira trabalhar com a panela diretamente sobre a chama do fogão, mas a panela precisa ser grossa.  A chama não precisa estar ajustada para fogo baixo, pode ser no intermediário.

.

Após algum tempo, começará a ser formada uma espuma branca na superfície. Essa espuma é retirada com o auxílio de uma colher.

.

.

Algumas pessoas preferem esperar a manteiga aquecer e levantar mais espuma, outras acham melhor ir retirando a medida em que esta vai sendo formada. Fiz das duas maneiras e contanto que se retire bem a espuma, isso não altera no resultado.

.

.

Quando a manteiga estiver toda derretida e a maior parte da espuma já tiver sido retirada, passa-se o líquido para outro recipiente. Também nesta parte descobri que há procedimentos distintos. Alguns indicam que o processo de aquecer a manteiga, passar por uma peneira fina de metal (forrar a peneira com papel toalha ajuda bastante a reter as particulas do leite) e retirar o liquido branco que permanecer no fundo da panela deve ser repetido até que o liquido não apresente mais residuos. Mas encontrei uma dica de um chef que prefere deixar o restinho de residuo para ser eliminado com a faca, após o ghee ter endurecido na geladeira. O residuo de leite fica todo no fundo e não é algo muito complicado de se fazer, mas ainda assim optei por eliminar antes completamente derretendo e peneirando. Uma outra dica é que o resíduo de leite que fica no fundo da panela não pode queimar quando a manteiga é aquecida, mas deve dourar um pouco para conferir o sabor do ghee, passando a exalar outro aroma.

para saber mais: http://whatscookingamerica.net/Q-A/ButterGhee.htm

http://roctaviani.multiply.com/recipes/item/54

Mudanças, andanças e panettones

Ano novo inspira mudanças…

 de casa,

de emprego,

de gênero musical.

De estilo de se vestir,

de penteado.

Mudar as multicores do esmalte,

a altura dos saltos dos sapatos,

a posição das flores no jardim.

Mudar o roteiro das férias,

mudar os hábitos para melhor,

mudar a dieta,

a disposição do armário na sala,

o tempero da comida predileta…

Tantos sabores novos experimentados com pequenas ou grandes mudanças.

Em recém clima de casa nova,

apreciamos colocar em prática uma mudança de tradição de final de ano,

trocando biscoitinhos por panettones.

 .

E, por que não, também experimentando novos recheios…

.

Após um delicioso curso de final de semana

no qual aprendemos a fazer panettones dos mais variados sabores

(inclusive o panettone salgado, delicioso por unanimidade)

com uma perfumada massa sem ovos e repleta de carinho,

a “prova dos nove” foi em casa…

Provada e aprovada.

.

.

.

.

.

.

.

* O bonequinho foi feito com muito capricho pelas mãos da “Tia” Janaína, e acolhido

com muito carinho por mãozinhas arteiras e faceiras de criança de bem com a vida…

semear para colher

.

* esse suculento “mix de grãos” foi um presente preparado com cuidado e carinho para o João Pulo, nosso hamster – que deixou de lado sua crise de papagaio (quando chegou para nós, só comia semente de girassol, recusando qualquer outro alimento) e aprendeu a apreciar outros sabores, comprovando que a vida nos oferece muitas experiências quando nos permitimos ser flexíveis e deixar fluir.