Pular para o conteúdo

as cores de sua poesia

fol 235

.

Acordou inspirado o menino, banhado em poesia de variados matizes.

Logo ao café da manhã, pediu uma coisa cor de lua. Branca. Ou cor de noite. Escura.

Seguiu-se o dia e chegou a vez de descrever um objeto transparente. Saiu-se com essa:

– era uma coisa cor de ar…

.

E assim a criança respira a vida com um colorido especial…

.

Anúncios
Não há comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s